Monday, November 07, 2005

A Igreja respalda a ciência

"um tema importante é ver que a Igreja não está contra mas a favor de processos científicos completos. Isto significa que as dimensões ética e bioética estejam presentes. Não somente uma dimensão técnica, um interesse pontual, como pode ser o de necessitar de células estaminais e fazer, por isto, o que quero. Sem dúvidas estou trabalhando com seres humanos e isto tem uma dimensão muito grande, porque não é um órgão, mas um organismo". "Estamos em meio a uma mentalidade tão utilitarista e tão pouco ontologista que nos leva a estas conclusões: que tudo está permitido e que tudo é possível", se lamentou.
O P. Bochatey reconheceu que "não sei o que está na mente" destes pesquisadores, "mas partem de uma afirmação que não é clara, por não dizer que não é certa. No artículo que publicam na revista 'The Journal of Regenerative Medicine', dizem textualmente que a técnica da clonagem é diferente da reprodução clônica. Mas não: a técnica é a mesma, só que uma é passada logo a um útero e para a outra nunca pensaram que supere certo estágio de desenvolvimento. Não vão deixá-la crescer, mas já está vivendo".
"A técnica é a mesma -sublinhou-, e essa divisão que se pretende fazer de que uma coisa é clonar com fins reprodutivos e outra é fazê-lo com fins terapêuticos, é análogo ao que se diz da eutanásia ativa ou passiva: no fim é eutanásia, é matar, uma por ação e outra por omissão. Aqui é: criar uma vida humana para depois reproduzi-la e que nasça, e criá-la para obter um tecido e depois não deixá-la crescer".

1 Comments:

Blogger Prof. Marcelino said...

Meninos:
Para começar o blog promete...
MAs há uma coisa que tem de ser alterada, nos posts é necessário colocar a fonte (o endereço do site de onde foi feita a cópia e/ou adaptação).

8/11/05 4:26 PM  

Post a Comment

<< Home